O AMOR E A PALAVRA


O amor só existe nos confins da palavra. 
A bússola para o amor é o desejo. Desejo esse que é difícil de bancar. 
O ser humano inventa o amor para esquecer que ele é incompleto. 
Portanto, amar é para os fortes.

A palavra escapa, faz nó, sutura e evoca. Nenhuma palavra abarca. 
A linguagem faz ecos e ressonâncias em nós. É preciso ter olhos para ver que a vida transborda palavras, e nem tudo cabe nas gavetas do ser inconsciente: faltam palavras.

Tudo isso exige suportar a (im)possibilidade da escrita. 
Seus pedaços ditos e não-ditos. 
Não há garantias… mas há contorno!

Escrever convoca à arte de perder. 
Perder? Sim. 
Ou me salvar.